Segunda-feira, 4 de Junho de 2012

A Economia é o tópico do momento. Todos os dias os telejornais abrem com a crise grega ou com a troika que chegou a Portugal e quer mais medidas de austeridade. O problema é que, como é natural, nem todas as pessoas sabem o suficiente de Economia para perceber muitas das coisas que se passam hoje em dia. É certo que todos sabem dizer se querem que Portugal saia ou não do euro; mas muito poucos percebem exactamente o que está por detrás de tal decisão. E para complicar um pouco, existem vários jornalistas e comentadores que influenciam a opinião pública com o que dizem ser o seu conhecimento económico mas que muitas das vezes acaba por ser puro desconhecimento.

Vou então criar uma série de posts com respostas a algumas perguntas e erros frequentes relacionados com Economia (FAQ.Economia).

E tenho a certeza que há muitas perguntas! Deixem comentários com o que gostariam de ver discutido!



publicado por Mais Um Economista às 14:03 | link do post | comentar

9 comentários:
De José a 7 de Junho de 2012 às 15:54
Boa Tarde,
Estamos de facto a viver um período histórico, em que substanciais mudanças irão ser-nos impostas por factores internos e externos. Entendo também que a saída do euro seria uma melhor solução para Portugal, pois permitiria-lhe ganhar autonomia em relação às políticas monetárias europeias. No entanto (ainda não li o artigo sobre a Argentina) estamos numa situação diferente, pois os perigos da desvalorização da moeda podem, caso não haja um controlo devido, resultar numa onda de superinflação que poderá afectar gravosamente largas faixas da população menos esclarecida. Outro ponto incontornável é que, estamos dependentes do exterior para bens essenciais como cereais, outros alimentos, combustíveis e energia que desequilibram fortemente a nossa balança comercial externa. Bens estes que estão ainda por cima a acabar ou pelo menos a atingir o seu pico de produção, pelo que será de esperar aumentos significativos no seu preço.


De Claudio a 5 de Junho de 2012 às 13:36
Eu sinceramente acho que nem devíamos ter saído da nossa moeda ESCUDO , porque estávamos muito melhor do que estamos hoje, quer a nível economia, quer a nível de sobrevivência e emprego foi o pior erro Portugal ter saído do ESCUDO, lembro de todos estarmos a comprar as nossas casas e pagando até antes do prazo e agora? Estamos sem casas a entregar ao Banco que não temos dinheiro e os nosso filhos sem trabalho em depressão em casa que voltemos à nossa moeda o mais breve possível e assim só assim voltaremos a viver bem sem ser governados por senhoras que só querem austeridade até fico sem saber quem governa Portugal se a Alemanha ou Coelho.


De Francisco a 4 de Junho de 2012 às 15:53
Estou com dúvidas se seria ou não melhor sairmos do Euro. Imagino que as consequências da saída seriam bastante severas nos primeiros 3 ou 4 anos, mas a partir dai a nossa economia passaria a crescer com uma taxa bastante mais elevada caso nos mantivéssemos no Euro ou não?

Penso que já não teríamos de obedecer ao PAC, por exemplo, ou a restrições nas pescas. Poderíamos extrair o ouro existente no nosso território, e com a desvalorização da moeda, seriamos um País atractivo a investimento estrangeiro (baixo valor de mão de obra, equipamento , construção e aquisição de imóveis), o que levaria a um aumento de exportações/serviços, e aumento de emprego e consumo interno, ou estou errado?

Se puder esclarecer-me neste assunto agradecia, sou um mero engenheiro que em assuntos económicos valho pouco.


De Mais Um Economista a 5 de Junho de 2012 às 18:20
Caro Francisxo,
Eu acredito que a recuperação da saída do euro pode ser mais rápida que 3/4 anos. A economia Argentina começou a recuperação passados apenas 2 trimestres e passado menos de 2 anos já tinha recuperado totalmente para o nível anterior ao default. E eu só vejo uma hipótese alternativa à saída do euro, que seria a completa integração da europa, a convergir para algo como os "estados unidos da europa". E mesmo perante esta hipótese, penso que o crescimento económico de Portugal seria mais acentuada em caso de saída do euro. Sair do euro não implica (penso eu) sairmos da União Europeia, mas concordo claramente consigo na medida em que medidas como a PAC teriam de ser, no mínimo, suspensas. E sim, a desvalorização do escudo iria promover as exportações, o aumento do emprego e o aumento do consumo interno por substituição de importações. E com a melhoria das perspectivas de crescimento da economia, aumenta necessariamente a atractividade de investimento estrangeiro.


De Francisco a 6 de Junho de 2012 às 10:36
Então se a economia poderá recuperar ainda mais rápido do que 3/4 anos, porque não foi sequer solução sairmos do Euro, antes de pedir-mos ajuda externa? A única solução para a "sobrevivência" foi este pedido de ajuda? ou existiam outras soluções? Haveria algum País que nos emprestasse dinheiro a taxas de juro mais baixas?


De Mais Um Economista a 6 de Junho de 2012 às 23:38
Caro Francisco,
Sem dúvida que pedir a ajuda financeira não era a única solução. Mas não se pode esquecer que a criação do euro é um projecto de uma geração política. Deixar um país sair do euro e potencialmente acabar mesmo com a moeda única, seria assumir um erro, e como sabemos, não é uma virtude do ser humano assumir erros, quando mais dos políticos. O que não seria um assumir de um erro e o que talvez fosse uma solução seria a convergência séria para uma união política e fiscal, no limite uns Estados Unidos da Europa. Mas esta geração de políticos também parece incapaz de tal coisa e, como diz o outro, continuam a empurrar com a barriga para a frente.


De Francisco a 8 de Junho de 2012 às 16:09
Qual a solução a solução para o financiamento do País sem ser pela ajuda do FMI, e mantendo-nos no Euro? é que eu não vejo outra solução que não esta infelizmente ...


De escudo-cplp a 19 de Junho de 2012 às 14:29
Excelente comentário.
Mas acrescento Socrates não assumiu só o resgate por ser um Europeista ferrenho mas também porque os custos políticos seriam impensáveis para muita gente. Passos também nunca pensaria num tal custo ele vai agir sempre de acordo com a salvaguarda da sua ele dentro deste proximos 3 anos. Uma tal medida teria de ser tomada com uma ditadura, uma quase suspensão democrática. Não por causa de ser necessário impor regras e acorrentar a população mas porque não teremos políticos com a tal garra e coragem para abarcar com os perigos. Por outro lado a oposição dos grupos europeístas-sonhadores seria desmesurada no espírito "nao temos nada a perder o país que se desenmerde".
Francisco Napoleão


De Bruno a 4 de Junho de 2012 às 14:57
Não é solução Portugal sair do Euro. Aliás seria catastrófico para o país, com implicações sociais e económicas gravíssimas.
Aliás se tanto Portugal ou a Grécia ou mesmo a Irlanda saírem do Euro é o princípio do fim da União Europeia.
Na minha opinião teria sido preferível continuar com uma OCDE do que uma união onde os pesos entre os países são demasiadamente desiguais e colocando os países mais fracos subjugados às manias das grandes potências.


Comentar post

Posts recentes

Previsões, revisões, desi...

O Reestruturador

Há recessões e Recessões

O Mundo ao Contrário

Novas previsões do FMI

Reestruturar, Reestrutura...

Pagar para Emprestar Dinh...

A Mal Comportada Islândia

A Desvalorização Cambial ...

Wolfson Economics Prize

Mais Um Economista

Subscreva para receber os posts no seu email

Posts mais comentados
comentários recentes
Apesar de ser expectável que as previsões não este...
Não era de esperar que as previsões falhassem?
"O que está em causa não é o tamanho exagerado do ...
Este homem é tão burro!
subscrever feeds
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Tags

todas as tags

links
arquivos

Outubro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012